sábado, 27 de abril de 2013

Saudades da infância

Autor: Ralph Willians

Quando criança, sonhamos em ser adultos
Quando nos tornamos adultos, queremos voltar a ser criança
Percebemos que a fase adulta tão sonhada era ilusão
Quando criança, achamos tudo uma maravilha
Queremos ser o centro das atenções e até conseguimos
Mas quando chegamos à fase adulta, nossa visão muda
Enxergamos com mais clareza
Os obstáculos que antes não existiam
Agora fazia parte permanente de nossas vidas
Quantas vezes, ao passar por uma turbulência
Desejamos o colo de nossos pais
Desejamos ser consolados
Desejamos nos sentir amados
Temos esses desejos porque ainda carregamos
Um pouco da criança dentro de nós
Que saudade da época que éramos criança
Da época em que as contas não chegavam
Época de muitos amigos
Época em que viver era só brincar e ir á escola
Agora na fase adulta
Descobrimos oque é responsabilidade
Descobrimos oque é amar
E o que é sofrer por amor
O que era doce quando éramos criança
Na fase adulta virou um doce meio amargo
Sonhos se concretizam
Mas as derrotas nos fazem amadurecer
Erramos e acertamos
Mas no final
Não importa as desilusões da vida
Não importa os rumos e caminhos que tomamos
Se há amor
Se existe fé
Se plantamos o bem
Tudo terminará bem
Colhemos oque plantamos
Avida não é difícil de ser vivida
Somos nós que dificultamos tudo.


quinta-feira, 25 de abril de 2013

Peguena degustação da introdução do meu livro "ÉROS"


      Quando resolvi escrever um livro nunca imaginaria que me custaria noites em claro e muita dedicação, mas nada tenho a reclamar, pois tive o prazer de mergulhar dentro de meus próprios sonhos e descobrir coisas que nunca imaginei possuir. Confesso que em certos momentos minha dedicação ao livro foi tamanha que tive a impressão de estar vivenciando
todos os acontecimentos narrados, vivendo cada momento, cada instante, sentindo-me o verdadeiro personagem.
      Este livro tem como objetivo, mostrar aos seus leitores que o homem necessita de um pouco de sonhos em sua vida, mas devemos nos manter com os pés no chão. Temos que tirar a venda que tapa nossos olhos e ver a verdadeira realidade, que por muitas vezes se torna fria e cruel. A humanidade se acostumou em ver o errado e aceitar, mas é esses gestos que fazem do mundo hoje um lugar perigoso para viver e existir. Devemos parar de ver com olhos de adulto e passar a olhar com os olhos de uma criança, que a tudo pergunta e questiona, só dessa forma poderemos um dia alcançar as fronteiras da realidade e tentar consertar o errado, antes que destrua nossa própria existência e tomar consciência que para vencer uma batalha é preciso algo mais que simples atos.
      Temos que passar a nos questionar sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado. Somos integrantes de um navio à beira de um naufrágio, a tempestade é devoradora e sem união e equilíbrio somos náufragos em um mar de desespero e desilusões. Temos que tomar ciência de que a vida nos foi dada para grandes atos e que sem Deus nada seremos. Deus deu ao homem a inteligência, então temos a obrigação de usá-la com a certeza de que seremos justos e soberanos sobre nossos atos.


terça-feira, 23 de abril de 2013

Comentário sobre o livro "O Príncipe da névoa" de Carlos Zafón

    Um dia tive o prazer de comprar um livro que logo me chamou atenção pela capa, já que a capa é o cartão de visitas de um livro, era de um autor que ainda não conhecia, mas me aventurei a ler, pois sua sinopse tinha aguçado minha curiosidade.
      O livro "O príncipe da névoa" superou minhas expectativas, é um ótimo  livro, com uma historia fascinante que o prende do inicio ao fim. Posso afirmar que é uns dos melhores livros que já li até hoje, e agora todos os livros de Carlos Ruiz Zafón , fará parte de minha biblioteca. Agora estou lendo outro de sua autoria, "Marina" que também não fica pra traz. Carlos Ruiz Zafón é um autor brilhante, que consegue por no papel uma linguagem direta com o leitor, sem rodeios, e nos faz viajar em suas tramas muito bem elaboradas e seus personagens extraordinários.




domingo, 21 de abril de 2013


    Ontem 20/04/2013, tive um enorme prazer de passar uma tarde com meu amigo e escritor Sidney Santborg, aonde conversamos sobre nossos livros, projetos futuros e sobre temas que estão em nosso dia a dia. É muito bom quando temos amigos que podemos contar, eu tenho sorte por ter amigos.
     A tarde de sábado foi muito produtivo, pude compartilhar minhas ideias e ouvir atentamente os conselhos desse meu amigo que sempre tem algo para acrescentar de positivo.